Mensagem para os desavisados

PT-x-PSDB-por-Zé

Li no Facebook, de um colega, a seguinte indagação:

“Não entendo como que pobre vota no PSDB.”

Sinceramente, eu também não entenderia, se a outra opção não fosse ainda pior.

Aí alguém irá argumentar: “mas o PT melhorou a vida dos pobres”. Concordo, em partes. O pobre, no lulismo, começou a ter um dinheirinho a mais. O que propiciou isso foi o sistema de transferência de renda, através de vários programas sociais. Significa tirar dinheiro de uma parcela da população e dar pra outra, que está na pindaíba.

Até aí, nada de ruim, certo? Parece até ser coisa muito boa né? Seria, se isso não fosse uma situação insustentável e maléfica para todos, no final das contas.

Vou tentar explicar a situação de forma um pouco mais abrangente (nos limites deste humilde espaço bloguístico). Vamos lá.

A vertente ideológica do PT é o socialismo. O socialismo é a antiga crença de que o Estado pode gerir totalmente a economia, tomando para si os meios de produção de tal forma que o próprio Estado englobaria tudo, e a partir daí se dissolveria no todo, tornando-se indistinguível. Estaria aí então abolida a noção de Estado, que passaria a representar a totalidade do povo, numa sociedade igualitária sem classes sociais muito distintas. A grosso modo, seria uma sociedade de trabalhadores sem patrões, num sistema de cooperação mútua entre eles.

Acontece que tudo isso que é a versão IDEALIZADA do socialismo. Houveram na história várias tentativas de tornar este ideal uma realidade concreta. Só que surgiram alguns “probleminhas de percurso”. O principal problema é o da impossibilidade do cálculo econômico. Isto foi notado logo após a revolução bolchevique, que implantou na Rússia o sistema de economia planificada, centralizada no Estado. Logo notaram que o Estado era incapaz de fazer o cálculo de preços, por não ter informações suficientes (que são quase infinitas) das variações de mercado, de oferta e demanda. Sendo assim, ficava impossível determinar com eficiência a alocação de recursos, e logo de cara houve racionamento de vários produtos. Havendo racionamento, vários setores da economia definharam, e a miséria começou a se alastrar. Para solucionar o problema, os comunistas, ao invés de liberalizar o mercado, tomaram medidas ainda mais controladoras, e artificialmente tentaram remediar a situação, provocando ainda mais desastres. Em certo ponto, começaram as repressões e matanças aos insatisfeitos. Quem se opusesse àquele desastre era considerado um “traidor da causa”, que estaria defendendo os “interesses burgueses”. A partir daí a bola de neve só aumenta, pois todas as soluções tomadas apenas tendem a piorar as coisas. É como tentar enxugar gelo.

Isto aconteceu em TODOS os lugares onde o socialismo foi tentado. Na teoria socialista, este controle total centralizado é imprescindível, e, por isso mesmo, ela é falha desde o princípio. Ludwig von Mises, talvez o maior economista do século passado, alertava para este problema. Esta deficiência teórica do socialismo é incontornável, sendo até anti-científica. A economia deve ser gerida pelos agentes econômicos, que são as próprias pessoas, nós, eu e você. Se a economia é exercida pelas vontades individuais de cada agente, ela possui a fluidez para funcionar, e o equilíbrio é estabelecido. O padeiro produzirá a quantidade ideal de pães, baseada nas vontades individuais de cada um de seus clientes. É impossível (a não ser para Deus) saber quais são as necessidades e vontades de todas as pessoas, e portanto, gerenciar a economia de um país inteiro por um órgão centralizado qualquer. Este equilíbrio funciona exatamente como o equilíbrio da natureza: quando o homem intervém demais, mesmo com as melhores intenções, acaba por desequilibrar o funcionamento natural das coisas. É como se achássemos injusta a cadeia predatória e interviéssemos para favorecer as presas em detrimento dos predadores. Veríamos logo em seguida um aumento descontrolado destas presas, que na falta de alimentos para todas, se extinguiriam maciçamente.

Para fugir desse calabouço teórico, as esquerdas, no mundo todo, se adaptaram para trabalhar em simbiose com o capitalismo, admitindo que o sistema capitalista de produção é, de fato, o mais eficiente. Adotaram a postura de não intervir totalmente na economia, mas parcialmente. Economicamente, a esquerda hoje acredita que se deva fazer uso do aparelho de Estado para promover a igualdade social, criando mecanismos para tributar uma parcela da população e repassar para outra.

Mas daí vem o ponto-chave de toda a questão: justiça realmente significa igualdade? A resposta é não. É aqui que se desmorona toda a teoria marxista do socialismo. Além da grave falha econômica, existe esta falha filosófica, que é muito mais profunda. Justiça nunca significará igualdade. Isto é tão óbvio que se você olhar pra qualquer lado, verá pessoas totalmente diferentes de você, com capacidades, potencialidades, vontades e pretensões totalmente distintas. É NATURAL (ou seja, é da natureza, é da criação DE DEUS) que existam diferenças entre os homens. Sabendo disso, todo o discurso da esquerda de igualdade social se torna uma fraude em toda a linha. A igualdade social é apenas um discurso mesmo, sem conexão com a realidade concreta. Serve apenas para incitar o ódio entre as classes sociais, jogando classes que estão em desvantagem no processo histórico contra classes que estão em vantagem. A partir daí, todo um arcabouço de jargões, como “burguesia”, “exploração da mão-de-obra”, “mais-valia”, “opressão”, etc, surge para dar um embasamento mais realístico àquilo que é uma grande ilusão utópica, anti-natural e anti-científica: a sociedade igualitária.

Não estou aqui negando que haja injustiças nesse mundo, e que há muitas pessoas que são ricas indevidamente. Mas com a palavra “indevidamente” quero me referir às pessoas que se tornaram ricas sem mérito pessoal. Apenas isso. Já a esquerda coloca todo rico no mesmo rol de pessoas indignas, que de alguma forma usurparam as riquezas e os direitos de outrem. Isto sim é uma injustiça. A maioria das pessoas que obtiveram sucesso material nessa vida (cito apenas o material, pois a esquerda é totalmente materialista) foi por muito esforço e suor. Quando uma pessoa enriquece meritosamente dentro do capitalismo, ela, ao invés de prejudicar alguém, ajuda, e muito. O sistema capitalista é um sistema de competição, em que para vencer esta competição, o capitalista deve fornecer o melhor produto ou serviço pelo menor preço. Pense bem e veja se isto favorece ou desfavorece os mais pobres. Voltando ao exemplo do padeiro, quando este aumenta seu patrimônio vendendo os melhores pães pelo menor preço, muitas pessoas de baixa renda se beneficiarão deste feito. Além disso, o padeiro, para crescer seu empreendimento, irá contratar funcionários. Para manter o nível de qualidade dentro do sistema competitivo, terá que prezar pelos funcionários que tem, e para isso, pagará bons salários, para não perdê-los para a padaria concorrente. É assim que funciona o sistema capitalista LIVRE de qualquer interferência.

Quando os governos socialistas, em nome da desigualdade social, se metem a regular a economia, reduzindo esta liberdade, estão destruindo este sistema de competição e cooperação mútua, sob o pretexto de estarem protegendo os trabalhadores de uma suposta “exploração”. Para isso, reunirão todos àqueles trabalhadores incompetentes e inconformados, que estão ganhando pouco, já que não conseguem competir (lembre-se que o trabalhador tem que vender sua mão-de-obra, e por isso deve ser de qualidade). Reunirão também todos os realmente injustiçados, vítimas de patrões mesquinhos e exploradores, que não valorizam seus funcionários. Reunidos todos os insatisfeitos e injustiçados, a esquerda inflamará esta massa de pessoas, transformando-a em militância política para chegar ao poder ou se manter nele.

Interferindo no sistema econômico natural e na sua fluidez, a esquerda obviamente promoverá desastres e mais desastres econômicos. Para justificar estes desastres, cinicamente se utilizarão de ardis dos mais rasteiros, jogando a culpa de seus próprios fracassos no “capitalismo”, e a partir daí, pedirão mais apoio político para a “solução”: o socialismo. Neste ponto entramos num círculo vicioso, onde problemas são criados pelas mesmas pessoas que logo em seguida se apresentam como a solução destes problemas. Quando este ciclo perdura por longos períodos, inevitavelmente surgem daí regimes totalitários e sanguinários.

Quando eu disse que acho totalmente correto e justo que uma pessoa se torne rica por mérito, tenho que lembrar que existem pessoas que se enriquecem burlando o sistema do livre capitalismo. Um capitalista só consegue fazer isso por uma via: se aliando ao poder político. Quando este poder político controla fortemente a economia, fica mais fácil para o capitalista mal intencionado pular a etapa de competição de mercado e ir direto para os lucros, através de favores políticos. Não é atoa que hoje, no mundo, os governos de esquerda (que são os mais controladores e que promovem o maior inchaço estatal possível) são financiados pelos maiores capitalistas do mundo. Daí você pergunta espantado: o quê!? Os maiores capitalistas promovem governos socialistas!? Sim, é isso mesmo que você leu. Estes meta-capitalistas (capitalistas trilhardários que estão acima do próprio mercado), estão a todo momento financiando os partidos de esquerda, os movimentos sociais de esquerda, os projetos educacionais da esquerda, etc. Tudo isso com a intenção de proteger seus impérios da competição feroz do mercado, utilizando-se da máquina pública mega-inchada promovida por governos socialistas. Enquanto isso, estes mesmos governos demonizam os ricos, mas não os super-ricos: irão perseguir apenas os ricos meritórios, aqueles que produzem e são benéficos para a nossa sociedade, afim de enfraquecê-los no mercado para favorecer estes super-ricos.

O socialismo é a estratégia de obtenção de poder mais efetiva de todos os tempos. É muito fácil ludibriar as pessoas com o discurso da desigualdade social e da luta contra os “burgueses”. As pessoas realmente embarcam nessas ideias, e acabam por apoiar governos de esquerda, que no final das contas sempre decepcionaram na história mundial. Os resultados finais são sempre os mesmos. Podemos atravessar momentos bons, em que governos populistas (como o caso do Lula), utilizam a máquina pública para promover distribuição de renda. Mas ao mesmo tempo, este sistema socialista promove paralelamente o controle centralizado da economia, que cedo ou tarde irá ruir, pela própria incapacidade do Estado em geri-la.

É por isso que é compreensível que as pessoas digam: “pobres não deveriam votar no PSDB”. De fato, não deveriam mesmo. O PSDB é um partido de esquerda moderada, que acredita que pode resolver as coisas pelo uso demasiado da máquina pública. O problema é que o PT é um partido ainda mais de esquerda, que está CONFESSADAMENTE tentando implantar nesse país um regime socialista PLENO. Isto significa um desastre muito maior. O período que atravessamos é um período de transição. A esquerda, que antes optava pela luta armada para implantar esta doença socialista hoje opta pela via democrática, utilizando-se de todos os artifícios possíveis para burlar o próprio sistema democrático por debaixo dos panos, e ir se perpetuando no poder. O PT já conseguiu comprar boa parte dos brasileiros, seja pelos seus benefícios miúdos, que no fundo escravizam a população, seja pela doutrinação escolar e universitária, que fazem os alunos comprarem a ideia do socialismo como a única saída possível. Compraram também boa parte da classe política, com o nosso dinheiro. Aparelharam o judiciário, escorraçando de lá os últimos opositores aos desmandos e roubalheiras do partido. Se apossaram da maior empresa estatal, e a usam sem nenhum pudor para financiar esta compra da população e dos políticos, além de financiar “amigos” de socialismo no continente, numa estratégia de tornar a América Latina inteira numa grande favela socialista, como hoje é Cuba. A intenção da cúpula do PT é se tornar os reis do Brasil, levando um estilo de vida nababesco às custas da escravidão do povo.

Portanto, espero que tenha ficado claro que, se hoje alguém vota no PSDB, é por saber que entre uma esquerda moderada e uma esquerda agressiva, a menos ruim é a moderada.

Se você acredita nas boas intenções do PT, sinto lhe dizer: você foi profundamente enganado. Já você que vota no PT mesmo sabendo de tudo isso, não sinto nada por você. Você é apenas um canalha.

Anúncios

15 Comentários

  1. Texto muito bom. É exatamente isso daí. Parabéns pelo blog. Mais um para engordar a massa liberal/conservadora de reação a esses esquerdistas mentirosos. Me permita apenas fazer uma pequena correção: “interviéssemos” em vez de “intervíssemos”. Parabéns mais uma vez e continue escrevendo! Ganhou em leitor fiel. Abraços

    Curtir

    1. Opa, corrigido! Muito obrigado Bruno. Grande abraço.

      Curtir

  2. Parabéns. Quem dera mais e mais pessoas se interessassem em ler um texto tão esclarecedor como este. Continuemos a luta contra essa nefasta ideologia.

    Curtir

    1. Obrigado! Sigamos em frente!

      Curtir

  3. Rogério Fraga · · Responder

    Mais um texto a ser compartilhado, parabéns!

    Curtir

  4. Que texto excelente Judite! Parabéns! Inteligente, coerente e realista!

    Curtir

    1. Obrigado pelo apoio!

      Curtir

  5. Excelente texto, Judite, claro e agradável de ler!
    Permita-me apenas uma pequena sugestão: no penúltimo parágrafo, onde se lê “menos pior” seria mais correto “menos ruim” (o comparativo “pior” não admite outro comparativo “mais”). Continue em frente! Parabéns!

    Curtir

    1. Corrigido. Obrigado Marcos.

      Curtir

  6. Edson Nogueira · · Responder

    Excelente texto e excelente análise esclarecedora, Judite! Só lamento que a maioria dos brasileiros não tem o hábito de ler, e muitos somente vão ler as primeiras linhas, infelizmente!. Parabéns! Vou seguir você!

    Curtir

    1. Obrigado Edson. Realmente, falta ao brasileiro o hábito não só de ler, mas de ler os clássicos.

      Curtir

  7. Judite, descobri hoje o seu blog. Estava sentindo muita falta de mais textos e opiniões brilhantes e esclarecedores que não fossem os já conhecidos de Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, etc. Minhas entusiasmadas congratulações, sou seu fã a partir de hoje. Vou divulgar o seu blog o mais que puder. Obrigado por existir.

    Curtir

    1. Obrigado pelo apoio César. Grande abraço.

      Curtir

  8. Argumentação fantástica! Um esquerdista ingênuo, mas não fanático, seria prontamente “convertido”. Só uma pequena correção ortográfica: mude palavra “atoa” (flexão do verbo atoar = levar a reboque), por “à toa”, se o sentido do termo for “ao acaso”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: